"Navegue por seus sonhos, mas tenha um porto seguro. Finque suas raízes em solo fértil que lhe garanta bons frutos no futuro." - G. Nobio.

Translate / Tradutor

16 de outubro de 2010

Sacolejando Os Trilhos

Paulo Moura: clarinetista, compositor e arranjador. Músico dos mais experientes da velha guarda do instrumental brasileiro, contemporâneo do mestre Pixinguinha, é um homem sempre a serviço da propagação dos belos sons.

Gravado no estúdio sinfônico da Rádio MEC em 2003, o álbum Estação Leopoldina conta com o apoio de um time de instrumentistas da pesada, entre eles Carlinhos 7 Cordas (violão), Chico Chagas (acordeão e piano), Marcos Esguleba (percussão), Paulinho Balck (bateria) e outros. Sabe aquele C.D. gostoso de ouvir da primeira à última faixa? É esse! Ao longo de 1 hora, 6 minutos e 24 segundos de duração Moura e sua banda apresentam o melhor do chorinho e do samba feito no Rio de Janeiro.

O disco começa com o acordeão de Chagas (acompanhado por Balck) reproduzindo o som de um trem, que introduz a faixa título, e na seqüência o samba-choro sacolejante dá início aos trabalhos musicais. Não há músicas cantadas, as principais linhas melódicas são executadas pela clarineta de Paulo (o solista) – que também dá destaque para outros instrumentos desempenharem o mesmo papel. Interessante é que a passagem de uma faixa para outra é bem sutil, quase não havendo intervalo.

Além de composições autorais, há espaço para regravações, rendendo homenagens a grandes mestres. Simplicidade, Nosso Romance e Receita de Samba (de Jacob do Bandolim), Deve Ser Amor (de Baden Powell e Vinícius de Moraes), Bananeira (de Gilberto Gil e João Donato) e Remexendo (de Radamés Gnattali) são as releituras. A faixa 13 é um pout-pourri de onze minutos que reúne os clássicos (também releituras): Ai, Que Saudade da Amélia, Trem das Onze, Prêmio de Consolação, Leva Meu Samba e a maravilhosa Imagem (esta, de Luiz Eça). O tempero sonoro de Paulo Moura é tão delicioso que é possível cair na dança ao ritmo de forró e de salsa, a bela idéia de fazer um álbum onde as músicas aparecem em blocos temáticos proporciona isso. O esquema é o seguinte: da faixa 1 a 4, samba-choro; da 5 a 7, salsa; da 8 a 10, forró/quadrilha; 11, a balada Linda, composição inspiradíssima de Moura; 12, chorinho tradicional; 13, samba de gafieira e 14, pagode/choro.

Estação Leopoldina faz parte do projeto Música de Muitos BrasisPasse Livre Para Criar, lançado pelo Selo Rádio MEC-BR em parceria com a Petrobrás. Álbum produzido por Alex Meireles, com direção musical e arranjos de Paulo Moura. Taí a dica de uma ótima audição, música da melhor qualidade. Vale a pena ouvir. Confira!


0 comentário(s):

ACESSOS!

© 2014 - Nobio Da Paz Produções Musicais / Template: D.B.