"Navegue por seus sonhos, mas tenha um porto seguro. Finque suas raízes em solo fértil que lhe garanta bons frutos no futuro." - G. Nobio.

Translate / Tradutor

8 de novembro de 2011

Questões Filosóficas de Uma Novela Gráfica

"Watchmen é a graphic novel já publicada mais aclamada pela crítica e mudou completamente o mundo dos super-heróis em quadrinhos. Essa obra-prima de narrativa realística, diálogos e arte, cortesia de Alan Moore e Dave Gibbons, levanta uma série de questões filosóficas que requerem atenção.

Como Ozymandias e Rorschach justificam suas ações? Quais são as ramificações políticas do trabalho do Comediante para o governo? Como explicamos a natureza do Dr. Manhattan? A Espectral também pode ser considerada uma feminista? O Comediante é um comediante mesmo (ou apenas um idiota)? Uma graphic novel pode ser considerada literatura? Onde os filósofos da Antiguidade se enquadram nessas questões?

Se você estiver lendo Watchmen pela primeira vez ou se já for fã há mais de 20 anos, Watchmen e a Filosofia - Um Teste de Rorschach o ajudará a ir mais fundo nas questões filosóficas e na história revolucionária que mudou a ficção em quadrinhos para sempre."
Fonte: Editora Madras.
________________

Minha Opinião!

Você teria coragem de vestir uma roupa de super-herói e sair pela cidade para combater o "mal"? Eu jamais faria isso em sã consciência (confesso que quando eu era pequeno queria voar e ser forte como o Homem de Aço - rsrsrs)!!!

Ser um "vigilante mascarado" não necessariamente é politicamente correto e a obra-prima Watchmen - escrita por Alan Moore e desenhada por Dave Gibbons - critica brilhantemente o autoritarismo praticado por aqueles que se julgam os guardiões da sociedade.

O livro Watchmen e a Filosofia - Um Teste de Rorschach* aborda essa e outras questões e a relação do enredo da trama com tradições filosóficas - como o consequencialismo e a deontologia -, ética, ciência e até Deus. Uma leitura interessante que ajuda a entender melhor as diversas referências apresentadas na clássica história em quadrinhos e também seu subtexto.

Como bem definiu J. Robert Loftis (no fim do capítulo 05*), "a lição real por trás da história é que a ninguém, não importa qual sua ideologia, deve ser confiado poder em excesso". Verdadeiros vilões estão acima de qualquer suspeita óbvia. Quem é herói de verdade? Quem vigia os vigilantes? Como se justificam suas ações? Sempre fui fã de Watchmen, agora gosto mais ainda. Dica: leia o gibi, assista ao filme e depois leia o livro* recomendado.

0 comentário(s):

ACESSOS!

© 2014 - Nobio Da Paz Produções Musicais / Template: D.B.