"Navegue por seus sonhos, mas tenha um porto seguro. Finque suas raízes em solo fértil que lhe garanta bons frutos no futuro." - G. Nobio.

Translate / Tradutor

2 de dezembro de 2011

A Balada de Antônio Mortalma

História em quadrinhos brasileira de autoria do roteirista Wellington Srbek e desenhada pelo artista Flavio Colin (1930-2002). O álbum publicado pela editora Conrad tem arte com traços de xilogravura e uma narrativa influenciada pelo livro Grande Sertão: Veredas (de Guimarães Rosa).

A obra é uma tentativa de recriar poeticamente o Brasil interior, com suas paisagens naturais e seus elementos culturais tão ricos e tão singulares como o folclore sertanejo, segundo palavras do autor.

_________________________

"O sertão mineiro, ao norte do estado, é o cenário de Estórias Gerais - mais especificamente a pequena cidade fictícia de Buritizal, à margem do rio São Francisco, lá pela década de 1920. Um jornalista chega à cidade com a missão de apurar a história do cangaceiro Antônio Mortalma, que costumava aterrorizar o povo do vilarejo.

Homem da cidade, o jornalista vai ouvindo um a um os moradores, descobrindo informações sobre a origem de Mortalma - muitas delas alegando que o bandido seria na verdade o demônio, ou pelo menos teria parte com o coisa-ruim. Com espírito cético, logo descarta tais afirmações, imaginando nelas crendices do povo de pouca cultura, e esperando que a expedição comandada pelo Coronel Odorico Pereira logo chegue para resolver a violência que assola a região.

Porém seu guia é um jagunço disfarçado, que logo coloca o jornalista cara a cara com Mortalma, num rincão no meio do nada. E então que sua visão sobre os moradores do local começa a sofrer uma tremenda mudança a cada personagem que aparece na trama." Fonte: Conrad Editora.

0 comentário(s):

ACESSOS!

© 2014 - Nobio Da Paz Produções Musicais / Template: D.B.