"Navegue por seus sonhos, mas tenha um porto seguro. Finque suas raízes em solo fértil que lhe garanta bons frutos no futuro." - G. Nobio.

Translate / Tradutor

15 de janeiro de 2014

Queimando Tudo

#Viciante | Indicado por um colega de classe, pela primeira vez eu assisti ao drama do personagem Walter White (assista ao episódio piloto) - interpretado pelo premiado ator Bryan Cranston - na série Breaking Bad que trata do dilema de um genial professor de química e vencedor de um prêmio Nobel que, pasmem, faz um 'bico' num lava-jato e descobre que tem um câncer incurável. 

Diante das dificuldades financeiras, ele - pai de um filho com paralisia cerebral e com a esposa grávida - decide fabricar drogas sintéticas (metanfetamina) em parceria com um ex-aluno que virou traficante e a partir daí sua vida muda radicalmente. Sua ousadia é tamanha que ele entra para o "negócio" mesmo sabendo que seu cunhado trabalha no D.E.A. (Drug Enforcement Administration) - divisão da polícia federal americana de combate ao tráfico de drogas.

Na minha modesta opinião, suas escolhas e motivações são compreensíveis, mas não justificáveis e como ele escolheu o caminho mais "fácil" para tentar resolver seus problemas, as consequências poderão ser desastrosas, embora o lucro seja certo. Que cruel dicotomia! De que forma uma pessoa consegue dormir tranquilo cometendo tantos atos reprováveis? Se viver já é um risco, a vida trabalha com moeda de troca e provoca quem está disposto a ter tudo a qualquer preço. Manipulando a tal química do mal pelo amor aos seus entes queridos. Tão ácido e contraditório.

Durante o 1º episódio da temporada 1, eu ficava imaginando: um homem como White - dotado de notável inteligência e com um Nobel de Química no currículo - deveria estar trabalhando num grande centro de pesquisa ou numa grande indústria química ganhando um alto salário, mas os reveses da vida o levaram para um outro caminho. Tudo poderia ser leve e melhor como mamão com açúcar e ele se põe a provar da mais "pura pimenta malagueta com um saco de sal e sem direito a água gelada". Aí ele se torna o Heisenberg, um "dependente" da química aplicada ao vício inebriante e da rentabilidade que ela proporciona.

A questão é: por que todos não têm as mesmas oportunidades e fracassam??? Até onde um ser humano iria para garantir a sobrevivência da sua família??? É por esse ponto de vista - com outros desdobramentos - que a série é interessante, mas talvez não agrade a todos por ser tensa e violenta.

0 comentário(s):

ACESSOS!

© 2014 - Nobio Da Paz Produções Musicais / Template: D.B.